Eleições americanas… a acabar até Novembro?

Gráfico de Gallup

Sondagens valem o que valem, mas as últimas sondagens mostram que o senador Barack Obama está cada vez mais na frente da corrida para a candidatura democrata. Isto apesar da Hillary Clinton ter reiterado que vai manter-se na corrida até à convenção democrata. A questão que me apetece fazer aqui é: Que é que ela sabe que nós não sabemos? Será que continua a ter o apoio dos superdelegates? Ou será que pode tirar ainda um coelho da cartola como Obama tirou quando fez o discurso sobre a segregação racial nos Estados Unidos?

O grande problema destas eleições é que o assunto fundamental não é a economia, a guerra no iraque ou a crise imobiliária. O grande problema destas eleições é a cisão racial que pode acontecer com a candidatura democrata. Olhando para os resultados conhecidos, verifica-se que os eleitores negros estão do lado de Obama enquanto os hispânicos e brancos estão do lado de Clinton. Inclusive as posições são tão extremadas que os apoiantes de Obama falam em votar McCain caso Clinton ganhe a nomeação. Isto pode ser um barril de pólvora à espera que alguém faça uma faísca.

A meu ver, quanto mais tempo o partido democrata demorar a definir o seu candidato mais potencialmente a cisão racial será visível. Poderá a cisão ser evitada se Clinton desistir proximamente? Penso que não. As eleições americanas de Novembro vão ficar invariavelmente marcadas pela realidade que a América não mais é um país a uma raça. A corrida política vai ajudar a abrir as feridas que o tempo da segregação deixou. A parte boa disso é que o ter que lidar com o problema pode também funcionar como catarse o que será sempre positivo.

Hillary Clinton não deverá anunciar nos próximos dias a desistência, muito provavelmente por uma questão de coerência política com o que tem dito, mas a verdade é que as sondagens já não lhe dão muita margem de manobra e a menos que seja capaz de um volte face de última hora não penso que tenha alternativa, pelo menos mais perto do congresso, a atirar a toalha para o tapete.

Friends Friends Friends…

Foto de kalandrakas

Eles estão em todo o lado, no Twitter, no Facebook, no Hi5…
Todos os serviços tem na página de cada utilizador um botão com as palavras “Add as Friend” ou “Friend Me” ou algo semelhante.

Esta contabilização de “amigos” virtuais é algo muito estranho porque é uma apropriação por parte dos sites sociais de um conceito que efectivamente não é aquele que eles pretendem vender e que as pessoas associam normalmente a um tipo de interacção e relacionamento diferente. E a verdade é que até um tribunal foi obrigado a esclarecer este ponto num caso de stalking.

O caso foi o de uma mulher que acusou o ex-namorado de perseguição, depois deste ter enviado um pedido de “Friend Me” no Facebook. O juiz concordou com a posição do namorado dizendo que este “Friend Me” não pode ser encarado no sentido tradicional do que é uma amizade.

Não quer isto dizer que na lista de “Friends” não haja também alguns amigos verdadeiros, mas a verdade é que maioritariamente são amizades inconsequentes. Permitem ter um panorama do mundo, eventualmente partilhar e conhecer experiências com novas pessoas e até iniciar projectos com algumas delas, mas daí a dizer que amizade está à distância de um clique…

É certo que o objectivo final do Facebook ou de qualquer outra rede social é o de fazer dinheiro através de um modelo de negócio que alguns estão ainda a tentar descobrir, e a apropriação do conceito “Amigo” é natural porque tentam a aproximação àquilo que as pessoas querem. Se em vez de “Amigos” lhes chamassem apenas “Contactos” ou “Utilizadores”, deixando a tarefa de construir amizades para os próprios certamente não haveria estes equívocos mas também seriam serviços muito menos populares, acho eu.

Os sites de comunidades e serviços sociais estão aí, não há como lhes fugir. Há é ter um pouco de atitude crítica e perceber onde é que acaba o “Friend” e começa o Amigo.

88 Minutos: Quem sabe sabe…


Vi ontem o 88 Minutos e sem dúvida que quem sabe, sabe. Há coisas que são tão melhores quanto mais o tempo passa por elas e o Al Pacino conseguiu arrancar mais uma representação de encher o olho neste filme. A lembrar um pouco o estilo de Heat ( e por falar em Heat, em 2009 deve sair um video jogo? sic? ).

Não vou estragar a ida ao cinema a quem não viu o filme com pormenores da história, mas este filme é obrigatório para quem acompanha a carreira de actor há anos. O resto do elenco consegue dar o suficiente e o papel de suporte da Alicia Witt é bem conseguido embora não encha o olho. Aliás, todo o filme gira em torno de Pacino, pelo gozo que dá vê-lo em cada instante a colocar no ecrã todo o seu talento como actor…

Alto! A terra vai ser engolida…

061229_lhc_hmed_6p.jpg
É curioso que hoje em dia se recorra ao medo e à ignorância para conseguir convencer as pessoas daquilo que queremos fazer.

A última parece ser a de um cientista americano que decidiu colocar em tribunal uma providência cautelar para que o LHC (Large Hadron Collider) não seja colocado a funcionar por receio que ele crie um buraco negro que faça desaparecer o planeta terra…

O mais extraordinário disto é: Quando a comunidade científica não suporta uma teoria, o melhor é levar a teoria a um juiz, que certamente percebe mais do assunto…

É óbvio!

Há dias assim…

01-25-2008.jpg

Comic de Extralife

Eu e a fotografia

Já devem ter reparado que há algum tempo criei aqui uma secção de fotografia. Não é bem de fotografia, que para isso já existe o Nimages, mas antes de equipamento fotográfico (eu sei que está atrasado, mas ainda esta semana entraram mais 3 máquinas velhas aqui em casa e não tive tempo ainda para as fotografar).

Já andava com vontade de fazer um blog sobre fotografia há algum tempo, mas sem preocupações e as chatices que um blog normal acarretam. Não tenho tempo para tanto. Assim, quando ultimamente comecei a brincar com o tumblr achei que a simplicidade do sistema podia ser perfeita para o que pretendia. Algo onde vou colocando as coisas que me vai apetecendo dizer sobre fotografia. Assim lancei o DavidChrome onde irei deixando pequenos snippets de coisas que vão passando sobre o tema. Vamos lá fazer uns clicks…

Safari em PCs Windows ilegal?

SafariWindowsLicense.png

O Safari está a dar uma série de problemas aos utilizadores de PCs Windows. Depois da Apple ter decidido forçar o produto através do canal de update do iTunes… parece que a licença de utilização (aquela tralha que ninguém lê e pelos vistos a Apple também não) diz expressamente que o Safari para Windows só pode ser utilizado “em um computador da marca Apple por vez“.

Ou seja, só se pode utilizar o Safari em Windows se esse Windows estiver instalado num Mac via Bootcamp, Paralells, Fusion… ou outro processo de virtualização.

Claro que já se percebeu que isto deita por terra todo a Licença de utilização, algo que a Apple deverá corrigir proximamente… mas enfim, só vem mostrar que nem sequer eles lêem o que os seus advogados escrevem.

Obrigado ao Filipe por me ter enviado o screenshot da instalação em português.