Sobre os blogs…

Foto de bertobox

Este fim de semana todas as conversas parece que giraram em torno da existência-ou-não-ou-do-que-é-ou-nem-por-isso a blogosfera portuguesa, ou mais resumidamente Os BLOGS…

Não me importou a polémica embora concorde com as críticas mais severas que foram sendo feitas, porque mais uma vez, num universo de centenas de milhar apenas os “colunáveis” continuam a ser, dizer e opinar sobre uma realidade da qual estão manifestamente alheios.

Mas longe das polémicas… a discussão pôs-me a pensar no que já passou, no que ficou e no que ainda resiste. Fez-me também pensar no meu trajecto, no que fiz, no que não fiz e no que ainda quero fazer… Fui à procura do meu passado.

A primeira vez que criei um blog e blog no sentido de coisa cronológica com o nome de blog e assente numa plataforma feita para o efeito foi em 2002 com o Sixhat Agridoce, que foi a minha casa pessoal durante muito tempo, foi podcast e acabou perdido por cansaço. Mas antes disso ainda me lembro de ter uma toalha estendida numa praia do norte do país, e já ter no fundo um blog sem saber como lhe chamar. Muito desse passado já se perdeu. A arqueologia internetiana do archive.org não conseguiu preservar tudo o que fui deixando por aí e os vestígios do que fui fazendo são agora muito ténues…

Curiosamente nesta viagem às minhas memórias, encontrei perdida, uma página de links. De links que na viragem do milénio, eram as minhas referências. Fui tentar revisitá-los para ver se por algum motivo ainda estavam por aí, e para minha surpresa alguns (uma minoria) continuam estoicamente, dois viraram portal pornográfico e os restantes foram-se perdendo no passar do tempo… Ao relê-los, principalmente os que estão vivos, percebi porque ainda gosto de “bloggar”… porque mais que o contacto ou o reconhecimento ou dinheiro ou o poder… fica o prazer da leitura das ideias de alguns que são capazes de pensar por si sem precisar dos idiotas (leia-se cheio de ideias) “colunáveis”.

Porque um dia os admirei e hoje ainda me reencontrei neles aqui fica a lista dos que vivem ainda para a minha memória.

A Natureza do Mal

O Movimento das Fotógrafas Super Sexies

Paulo Polzonoff Jr.

Prosa Caótica

Rebecca’s Pocket

Em busca da Límpida Medida

Little Black Spot

London Burning

Uma resposta

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: