Pode o Eee PC substituir um computador normal?

Asus Eee PC 701 4G
Este fim de semana tive em casa um casal amigo e o momento geek foi quando ela me perguntou pelo Eee PC, e se achava que podia funcionar normalmente como computador principal. Isto porque a mãe dela já tinha um (com linux) e estava rendida.

A meu ver Eee PC é o computador para levar para qualquer lado quando não se viajar por mais de 2 ou 3 dias.

Para um uso diário de várias horas (mais de 3), o melhor é mesmo possuir um computador com um bom monitor. A vantagem do Eee PC é que pode funcionar como o portátil que se leva para reuniões com as apresentações, ou com os ficheiros de trabalho… enquanto em casa se pode optar por um computador mais potente com um bom monitor e teclado (os dois maiores defeitos do Eee PC).

Se bem que hoje em dia seja moda utilizar os portáteis como computadores de secretária, estes conseguem ser ainda mais potentes, baratos e confortáveis para utilização intensiva.

Por isso mesmo o Eee PC não é um computador para ficar solteiro em casa. Tem que possuir um outro computador. A vantagem do Eee PC é que com o preço actual pode ser visto não como “O” computador, mas antes como um periférico do computador principal que tem a vantagem de se poder levar para qualquer parte quando for preciso.

E é muito mais barato que um iPhone

3 Respostas

  1. Lamento muito, mas tenho que concordar contigo! :)

  2. E o iPod Touch, poderá competir com o Eee PC (já que os modelos mais recentes do Eee, desvirtuam o conceito original)?

    Ao contrário do iPhone, o iPod Touch, não tem custos mensais…right?

    Aqui fica uma boa discussão para o próximo Triplo Expresso.

  3. Resposta curta: sim.

    Mas eu penso que seria mais correcto fazer a pergunta desta maneira:

    “Há um mercado para o eee enquanto computador principal?”

    Também aqui penso que sim.

    Mas nunca como pc de trabalho, com a respectiva implicação de várias horas de uso diário. Sinceramente, é hipótese que nunca me passaria pela cabeça. Falta-lhe monitor em condições; faltam-lhe teclado e rato em condições; falta-lhe capacidade de armazenamento (embora um disco USB ou NAS resolvesse o problema) e falta-lhe capacidade de processamento.

    [Pode ser uma simples questão de semântica, mas não concordo com a aplicação ao eee do termo “periférico” de um pc principal. Eu diria antes “terminal” de um pc que ele veria como servidor.]

    Em alternativa, vejo eu o eee ser usado como pc principal por alguns particulares? Pessoas cuja utilização do computador em casa se restringe a ler o correio electrónico; consultar um punhado de blogues; ripar os cds para ouvir no leitor de mp3 – desde que tenham uma drive externa; um pouco de Messenger, talvez? Pessoas que, quando querem/precisam de fazer uma impressão esporádica, enviam o ficheiro para o email do trabalho e fazem-no no escritório? Pessoas que não querem um monstrengo em casa e, quando não usam o computador, querem-no esconder numa gaveta? Claro que vejo.

    Já um iPhone (embora, para o efeito, eu prefira argumentar com o iPod Touch) tem mais dificuldade em ser usado como computador único, até porque o seu conceito é ser sincronizado com outra máquina e não criar ficheiros. (Eu gostaria de testar o Google Docs num Touch… talvez seja essa a verdadeira vocação desse tipo de serviços).

    Mas, se não imagino o iPhone/Touch ser usado como máquina única, vi-o já ser usado como máquina principal, ficando um desktop antigo com a tarefa de manter a biblioteca iTunes e imprimir esporadicamente um documento. Basta ser alguém que, em casa, se limite a navegar na internet e a ouvir música.

    Resumindo: começo finalmente a ver equipamentos que cobrem as especificidades de utilização de determinados segmentos de mercado. Para um grupo de utilizadores, já não há necessidade do “overkill” que é comprar um computador (ou portátil).

Os comentários estão fechados.

%d bloggers like this: