App Engine do Google

Algumas horas depois de me ter inscrito no Google Code para o App Engine recebi a confirmação e pus-me a brincar com o App Engine. Li a documentação, vi o tutorial do Google e experimentei fazer uma aplicação muito simples com o SDK. Tudo foi feito de forma muito rápida. A documentação está muito clara e penso que o App Engine vai permitir efectivamente revolucionar a forma como se desenvolve aplicações para Web. Até agora fazê-lo requeria especialistas, coders, designers, sysadmins e afins… Agora com o App Engine penso que o nível técnico necessário para desenvolver uma aplicação, simplesmente vai baixar, e muito. A meu ver, trata-se de um processo de democratização natural.

Fico a pensar entretanto uma coisa: O que estará nesta altura a Microsoft a pensar? É que mais que um ataque ao mercado directo da Amazon, o App Engine é um ataque ao modelo de desenvolvimento de aplicações da Microsoft. Se desenvolver uma aplicação web for tão simples quanto possível, que papel fica para companhias como a Microsoft no desenvolvimento destas aplicações? Ainda para mais quando todos parecem falar que o futuro da computação passará por aplicações online?

Quando a rádio toca…

O mundo da música está a conhecer em 2007 uma verdadeira mini-revolução. Tudo porque este ano até à data vivemos alguns marcos importantes.

Continuar a ler

Amazon MP3 sem DRM

laggos_268204032798.jpgParece que a Amazon se vai dedicar também a vender música livre de DRM. Para já a loja da Amazon apresenta preços mais competitivos que os da iTunes music Store e melhor ainda, tudo sem DRM. Para além disso apresenta um excelente suporte para Mac OS X.

As compras de música podem ser feitas directamente através de um browser, mas a compra de álbuns completos é feita com a ajuda de uma aplicação de gestão dos downloads que integra as músicas compradas com o iTunes. De momento a Loja da Amazon apresenta cerca de 2 milhões de músicas sem DRM com preços entre 0.89$ e 0.99$ e álbuns a começar em 4.99$.

Com estes preços, mais baratos que os do iTunes, sem dúvida que a loja da Amazon se prepara para ser uma grande alternativa ao serviço da Apple. Por outro lado tem o defeito de só aceitar dólares, pelo que não será muito prático para europeus, a menos que alguém tenha uma conta na moeda dos americanos. Para além disso com o euro a 1,4 dólares… se alguém conseguir comprar em dólares vai ficar muito bem servido, porque quando isto estiver disponível oficialmente na Europa certamente que os preços serão feitos com um câmbio 1:1.